domingo, 8 de novembro de 2015

De volta, timidamente



Então, de lá pra cá, até no interior do Paraná eu morei. Agora, em Porto Alegre. Faz umas duas semanas, uma breve passadinha em Florianópolis, onde revi pouquíssimos e bons amigos. 


Gente do bem


Pessoal, vai aí uma sugestão: no shopping Viva (onde era a Dado Bier, na Nilo Peçanha), tem uma loja muito legal chamada Beco Diagonal. Eles têm jogos de tabuleiro (entre outros artigos) para todas as idades e número de participantes - uma bela ideia de diversão para reunir amigos e família. O lugar é tão acolhedor e onde as pessoas são tão bem atendidas que, em fins de semana, tem uma galera que se reúne lá pra jogar. Vale conhecer. O Felipe (na foto, comigo), o dono, é muito gente boa e sempre tem uma promoção. Quem já quiser ir adiantando o presente de Natal - e adquirir algo bem original -, o Beco é ótima opção.




Gente do mal


No mesmo shopping, exemplo de como não se deve tratar um cliente. Foi só haver necessidade de uma explicação mais detalhada sobre um prato, e o atendente com cara de dono saiu rosnando, dizendo "é o que está escrito no cardápio, é só ler o que está ali". Francamente, perdi a paciência - que aliás nunca tive em boa quantidade - com esse tipo de coisa. Anônimos e sem educação!

Artesanato


Abri a página Toca da MOM no Facebook. Só o começo, há muita coisa mais para ser divulgada. Tudo baratinho, basta perguntar quanto aqui, no FB ou pelo tocadamom@yahoo.com.br. Entregas nos shoppings Bourbon Country, Wallig, Iguatemi. É só combinar.



De quem faz


FB me lembra que, há dois anos, publiquei na minha LT o texto cujo link é http://www.epochtimes.com.br/compras-natal-marcas-utilizam-trabalho-escravo-brasil/#.Vj9x6PmrTIV. Não sei se as informações ainda se aplicam, arrisco dizer que sim. Então, por que não comprar de quem faz ou de quem trata bem funcionários, fornecedores e clientes? Duas dicas aqui mesmo, nas notinhas acima. 


quarta-feira, 20 de junho de 2012

Apagão

Hoje, finalmente, ele apareceu. O cara da Net.

Outra novidade é que, ao junto sofá, foi acrescentada a carcaça de uma máquina de lavar roupa. Onde? Numa calçada na avenida João Wallig, em Porto Alegre, bem pertinho de dois grandes shoppings.

Como não tinha mais levado a filha ao colégio, só esta semana vi que a calçada onde ela machucou o tornozelo está remendada.

Sim, a assessoria de imprensa da Renner me passou as informações. Fiz fotos no memorial. Mas ainda não escrevi um texto que, pretendo, seja pelo menos um pouquinho legal.

A cabeça está fora do ar. Sofri um apagão neste último mês.


sexta-feira, 18 de maio de 2012


Vocação turística 1
Dia 20 de março, postei aqui no blog estas duas fotos abaixo. Foram tiradas a 500 metros de dois importantes shoppings da Zona Norte de Porto Alegre. Na rua João Wallig.



Vocação turística 2
Esta semana, passei pelo mesmo local. Foram feitos acréscimos decorativos, que podem ser observados nas imagens a seguir. Como se diz, nada é tão ruim que não possa piorar:



Vocação turística 3
Acho que os turistas que vierem a Porto Alegre para a Copa, por exemplo, podem descansar por ali após uma tarde de compras.

Obras 1
As calçadas pertencem às casas e não às ruas. Mas como é que o dono do imóvel pode ter controle sobre o que acontece com a calçada que ele, obrigatoriamente, tem de manter em condições de uso se uma empresa pública faz serviços nela e, ainda por cima, demora para concluí-los?


Obras 2
Pelo menos desde o início das aulas, em fevereiro deste ano, esse buraco está aí, e esta semana foi a vez da filha torcer o tornozelo tentando ultrapassar o obstáculo. Pior seria se ela fizesse igual ao cidadão da foto abaixo, que preferiu caminhar na rua, junto aos carros. E a gente já sabe que quando finalmente resolverem fechar o buraco, vai ser de qualquer jeito.


 


Obras 3
Uma dessas empresas públicas fez escavações em frente de nosso prédio e ficamos 48 horas sem energia elétrica.

terça-feira, 15 de maio de 2012


Cabo 1
O bilhete apareceu no prédio e eu acreditei. Fiquei de castigo em casa o dia inteiro com medo de arder no mármore do inferno – e sem sinal – se o cara da Net viesse e não encontrasse alguém. Ninguém apareceu. E fiquei sem o “Metro” de cada dia. 



Caminhadas
Tenho caminhado no Iguatemi. Acredito que qualquer lugar é lugar para caminhar, mas ali eu pego o “Metro”. As companhias são as mais variadas: tem gente que corre, que caminha, que se arrasta. Até o Nelson Sirotsky é parceiro. E tem gente que leva os cachorros para o exercício. Os figurinos também variam, alguns até surpreendem pelo requinte. Um espaço democrático.

Contramão
Em menos de dois minutos, peguei as seguintes imagens hoje pela manhã. Elas explicam o que escrevi ontem. A placa existe, a faixa está pintada, e o pessoal segue errando o caminho. Mesmo que ainda não tenham notado que não dá mais para seguir, da Gaston Englert até a Assis Brasil, pela Francisco Trein, nada justifica dirigir pela contramão. Teve motorista que se deu conta da sinalização e deu meia volta.

 
 

 

Cabo 2

A terça-feira passou, e o cara da Net não apareceu.

segunda-feira, 14 de maio de 2012


Modéstia
Vitrine no Iguatemi em minha homenagem:


Desatenção
Com a chegada do novo shopping na Zona Norte de Porto Alegre, a Francisco Trein foi revitalizada e ganhou um corredor exclusivo para ônibus e ambulâncias – para quem não sabe, é a rua do Hospital Conceição – , e o corredor vale a partir da rua Gaston Englert, no sentido da avenida Assis Brasil. A faixa tem a palavra ÔNIBUS escrita e há sinalização, mas sempre se vê carros circulando nela. É que a rua, antes, era de mão dupla, e os motoristas ainda não se acostumaram, acredito, com a novidade. Isso me lembra: a Túlio de Rose durante anos não teve sinaleira, e bem na frente dos shoppings Iguatemi e Bourbon Country as pessoas estavam acostumadas a se virar para atravessá-la. Faz pouco tempo – só não lembro quanto – que tem sinaleira, mas as pessoas seguem se atirando na frente dos carros sem esperar o sinal verde.

Gostei
Foram instaladas sinaleiras na rua Dr. João Simplício Alves de Carvalho, bem onde hoje existe uma rotatória. Ainda não foram ligadas, mas na minha opinião farão uma diferença positiva. Pela experiência que tenho tanto como pedestre quanto como motorista, rotatória é o caos.

Dia das Mães
Ganhei presente. Hehehehe. Comprado com o cachê da filha.

Nova peça
Aliás, ela está ensaiando nova peça, que vai estrear no próximo fim de semana no Teatro Zé Rodrigues. Apoio total da família, que não vê a hora de assistir às pequenas loucuras da fada Fauna em “A Bela Adormecida”.

quarta-feira, 25 de abril de 2012


Assessoria 1
Faz duas semanas que mandei um e-mail para a assessoria de imprensa das Lojas Renner. Aliás, para dois endereços citados no site da empresa. Pedi informações sobre o memorial montado na recém-inaugurada loja da Andradas, em Porto Alegre. Se o e-mail não voltou, deduzo que tenha chegado. Mas resposta que é bom não veio nenhuma. Nenhum contato. Nadinha.

Assessoria 2
Um dia li que a Cia Zaffari estava distribuindo aos clientes as sacolinhas produzidas com o chamado plástico verde. Entrei em contato, também por e-mail, com a assessoria de imprensa da empresa, pedindo algumas informações. Prontamente me deram um retorno, perguntaram qual prazo tinham e, conforme o combinado, recebi o que pedi. Este blog é modesto, mas a assessoria que atende ao Zaffari nem ligou para isso. 



Independência
Escrevi em duas oportunidades sobre a Cia Zaffari neste espaço e mandei o link da Toca da MOM para algumas pessoas. Houve quem pensasse que trabalho naquela empresa, o que não é verdade. É que um blog independente permite que se escreva sem o compromisso de elogiar o que não vale a pena ou de destruir aquilo – ou aquele – que por algum motivo incomode. Infelizmente, nos tempos em que trabalhei em jornais, aprendi que muitos interesses precisam ser levados em conta na hora de um texto ser publicado. Só a vontade de informar uma pequena verdade não basta.

Na batalha 1
Fui convidada para a coletiva que tratou da inauguração do novo shopping e escrevi sobre isso. Simples assim. E sigo na batalha.

Dois pesos
Revi alguns colegas na coletiva. Como sempre, o pessoal de TV, além de ver, gosta muito de ser visto. Acho que está no DNA deles. Outros, que adoram falar que jornalista não perde uma boca-livre, desprezaram a coletiva da manhã e foram direto para o coquetel oferecido à noite para convidados. Publicaram o material que a correta assessoria de imprensa forneceu. 


Fotos
Na foto do alto, o Dionei, da assessoria de imprensa que trabalha para a Cia Zaffari. Quando cheguei, ele até lembrava que havíamos conversado por telefone. Já a imagem acima mostra que o pessoal que trabalhou pela manhã  foi bem recebido também com um excelente café.

Na batalha 2
Depois da coletiva, voltei logo para casa. Afinal, tinha de preparar o almoço da filha. Acabei comprando uma lasanha pronta no caminho. E sigo na batalha.

terça-feira, 24 de abril de 2012


Eu fui na coletiva

Hoje pela manhã, fui à entrevista coletiva relativa à inauguração da primeira fase do Bourbon Shopping Wallig, localizado na Zona Norte de Porto Alegre. A apresentação do projeto foi do diretor Claudio Luiz Zaffari. Ainda hoje, a partir das 19 horas, haverá o coquetel de lançamento para convidados, mas a abertura do empreendimento ao público será nesta quinta-feira, dia 26. O shopping abre com 72% das lojas em operação – 230, distribuídas em quatro pavimentos, entre elas o supermercado da empresa.

Moro na região e acompanho a movimentação em torno do empreendimento. Não tenho vocação para matérias de economia, então vou reproduzir aqui o que considero relevante ou apenas curioso. Deixo as grandes análises para os especialistas.

Segundo o diretor, este é o maior prédio construído em Porto Alegre. A compra do terreno foi em 1995, “no século passado”, como ele disse. Daí se tem uma ideia do tempo que leva para a concretização de um empreendimento deste porte. Mas o Bourbon Wallig já foi pensado e preparado para a chegada do metrô da capital, resultado da política da empresa de “olhar para frente do nosso tempo, acreditando em nossa cidade”.



A construção propriamente dita – até o lançamento desta primeira fase – levou dois anos e nove meses. Quem é da região viu as benfeitorias, a revitalização da Zona Norte, o remodelamento de ruas e de avenidas. Neste período, foram gerados dois mil empregos, e há previsão de três mil novos empregos diretos após a inauguração de todas as operações. 



O prédio foi projetado com vistas à acessibilidade plena, com rampas de acesso, barras de piso e leitura em braile nos elevadores e pisos táteis, e à sustentabilidade, com sistema de contenção temporária de água de chuva e encaminhamento para reservatórios de reuso. Há uma subestação de energia elétrica com fornecimento de energia ao empreendimento independentemente da rede elétrica do bairro. Foi a primeira vez que um empreendimento em Porto Alegre foi todo executado atendendo a critérios de impacto ambiental.


Novas lojas nos aguardam. Claudio Zaffari citou algumas, mas o que mais me entusiasma é a chegada a Porto Alegre da sala de cinema com tecnologia Imax e sua supertela com imagem em alta definição.

A previsão é de que em três meses a segunda fase, já aprovada, entre em operação. O investimento total da empresa na construção do Bourbon Shopping Wallig chega a R$ 270 milhões.

As fotos são minhas. A primeira mostra Claudio Luiz Zaffari durante a apresentação à imprensa do novo empreendimento, cuja construção significa a revitalização de ruas e avenidas – na segunda foto, a Francico Trein, que vai ganhar um corredor para ônibus e ambulâncias. A terceira imagem é do prédio, que tem 199.200 metros quadrados de área construída e 45.568 metros quadrados de área bruta locável. A quarta foto é do supermercado que abrirá as portas a partir desta quinta-feira.